Anomalias dentais

De OdontoPédia
Ir para: navegação, pesquisa

As anomalias dos dentes podem ser divididas em influenciadas por fatores ambientais e idiopáticas ou que aparecem por natureza hereditária.

Tabela de conteúdo

[editar] Alterações ambientais: esmalte

Quase todos os defeitos ambientais visíveis do esmalte podem ser classificados num dos três padrões:

O esmalte alterado pode estar localizado ou presente em vários dentes, e toda ou parte das superfícies de cada dente afetado podem estar envolvidas.

[editar] Fatores associados aos defeitos de esmalte

[editar] Sistêmicos

[editar] Local

[editar] Perda de estrutura dentária após o desenvolvimento

Abrasão

A estrutura dentária pode ser perdida, após sua formação, por uma variedade de fatores causais, além dos casos óbvios, relacionados às cáries ou fraturas traumáticas. A destruição pode começar na superfície do esmalte da coroa através de abrasão, atrição ou erosão. Além disso, a perda da estrutura dentária pode começar nas superfícies dentinárias ou cementárias dos dentes por reabsorção externa ou interna.

[editar] Atrição

Atrição

É a perda da estrutura dentária causada pelo contato dente a dente durante a oclusão e a mastigação. Um certo grau de atrição é fisiológico, e o processo torna-se mais perceptível com a idade. Quando a quantidade de perda dentinária é extensa e começa a afetar estética e função, o processo deve ser considerado patológico.

[editar] Abrasão

É a perda patológica da estrutura dentária secundária à ação de um agente externo. A causa mais comum de abrasão é a escovação dentária que combina uma pasta dental abrasiva com a pressão forte e o esforço da escovação horizontal.

[editar] Erosão

Erosão

É a perda da estrutura dentária causada por uma reação química além da associada a bactérias (cárie). A causa pode ser alimentar (limões, bebidas não-alcoólicas, vinagre) ou interna (suco gástrico).

[editar] Reabsorção

Além da perda de estrutura dentária, que começa nas superfícies coronárias expostas, a destruição dos dentes também pode ocorrer através da reabsorção, realizada pelas células localizadas na polpa dental (reabsorção interna) ou no ligamento periodontal (reabsorção externa).

[editar] Reabsorção interna

Reabsorção interna

É uma ocorrência relativamente rara, e a maioria dos casos se segue a uma injúria aos tecidos pulpares, como trauma físico ou a pulpite relacionada às cáries. A reabsorção pode continuar enquanto o tecido pulpar permanecer vital.

[editar] Reabsorção externa

É extremamente comum, o potencial de reabsorção é inerente ao tecido periodontal de cada paciente, e esta susceptibilidade individual à reabsorção é o fator mais importante em relação ao grau de reabsorção que ocorrerá após um estímulo. Muitos casos têm sido denominados idiopáticos, porque nenhum fator pode ser encontrado para explicar a reabsorção acelerada.

[editar] Fatores associados

[editar] Pigmentação ambiental dos dentes

A cor dos dentes normais varia e depende do matiz, transparência e espessura do esmalte. O esmalte translúcido parece branco-azulado; o esmalte opaco é branco acinzentado. Portanto, dentes com esmalte transparente parecem amarelos no terço cervical e branco azulados no bordo incisal. Aqueles com esmalte opaco são de um branco acinzentado mais uniforme. As colorações anormais podem ser extrínsecas (aparecem pelo acúmulo superficial de pigmento exógeno) ou intrínsecas (secundárias a fatores endógenos que resultam na pigmentação da dentina subjacente).

[editar] Pigmentação extrínseca

[editar] Pigmentação intrínseca

[editar] Alterações de desenvolvimento dos dentes

Podem ser por número, tamanho, forma ou estrutura dos dentes.

[editar] Número

As variações no número de dentes em desenvolvimento são comuns. Vários termos são úteis na discussão das variações numéricas dos dentes.

[editar] Anodontia

Refere-se a ausência total de desenvolvimento do dente.

[editar] Hipodontia

Denota a falta de desenvolvimento de um ou mais dentes.

[editar] Oligodontia

Oligodontia

Indica a falta de desenvolvimento de seis ou mais dentes.

[editar] Hiperdontia

É o desenvolvimento de um número aumentado de dentes, e os dentes adicionais são denominados supranumerários.

[editar] Tamanho

O tamanho do dente é variável entre as diferentes raças e sexos. Dá-se o nome de microdontia à presença de dentes extraordinariamente pequenos. A existência de dentes maiores do que a média se chama macrodontia. Embora a hereditariedade seja o fator principal, ambas influências, genéticas e ambientais, afetam o tamanho dos dentes em desenvolvimento. A dentição decídua parece ser mais afetada pelas influencias intra-uterinas maternais; os dentes permanentes parecem ser mais afetados pelo ambiente.

[editar] Forma

[editar] Geminação

É definida como um único dente aumentado ou dente unido(duplo), sendo que o número de dentes é normal quando o dente anômalo é considerado na contagem.

[editar] Fusão

Fusão

É definida como um único dente aumentado ou dente unido (duplo), sendo que a contagem de dentes revela um dente ausente quando o elemento anômalo é contado.

[editar] Concrescência

É a união de dois dentes adjacentes somente pelo cemento, sem confluência de dentina subjacente.

[editar] Cúspides acessórias

Dens in dente

A morfologia das cúspides dos dentes exibe variações menores entre populações diferentes; destas, três padrões distintos merecem discussãoadicional

[editar] Alterações de desenvolvimento na estrutura dos dentes

Amelogênese imperfeita

[editar] Referências bibliográficas

NEVILLE, B. W. et al. Patologia Oral e Maxilofacial. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2004.

Ferramentas pessoais
Espaços nominais
Variantes
Visualizações
Ações
Navegação
Ferramentas